terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

A incrível arte de fazer tudo errado...

Minha adolescência só não foi mais traumática porque eu tinha uma companheira de todas as horas, minha prima Larissa - a Lara em casa e a "Freira" para os amigos.

Ela me apelidou de Bafo's Girl. Eu morria de vergonha desse apelido até constatar que todo mundo tem bafo de cabo de guarda chuva mergulhado no chiqueiro quando acorda. Ela tentou bravamente me orientar para coisas simples, bobas, mas que só agora eu entendo e dou atenção.

Eu errei com ela. Errei feio. Ela me perdoou, mas a nossa relação nunca mais vai ser a mesma, até porque quando a gente cresce - e nos tornamos menos insuportáveis (como ela sempre me falava) - passamos a dar importância pra nós mesmos e começamos a ter muitas responsabilidades que nos tomam todo o tempo e a razão. Uma boa faculdade, um emprego legal, ajudar na casa, morar sozinha, ralar pra ter uma grana sobrando no final do mês... Quem falou que é fácil se enganou completamente.

Eu entendo a separação e hoje eu sei que a nossa fase, juntas, foi a melhor de toda a minha vida. Sem a Freira, eu teria saído dos eixos e seria uma pessoa muito amargurada. Com a Freira eu cometi erros dos quais me arrependerei pelo resto da vida, mas que foram necessários pra fazer quem eu sou hoje. Eu ainda erro, muito, com um monte de gente... Mas hoje eu não erro mais comigo e essa é a lição mais importante que a Lara me ensinou.

Obrigada.

2 comentários:

Larissa Bohnenberger disse...

É triste quando um afastamento assim acontece, mas o mais importante disso tudo é aprender com os erros.

Bjs!

andré f.s. disse...

'Perdi' muita gente por ter feito besteira. Mas é bem isso que você escreveu; serve para um crescimento pessoal (e, querendo ou não, isso é deveras importante).

Tô AMANDO o seu blog (só pra RE-constar hahahahaha)

Bjs!

Postar um comentário

Não me responsabilizo por seus comentários, independente de você ser ou não alguém na night.
Isso aqui é uma ditadura e comentários ofensivos são deletados.