quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

E o troféu vergonha alheia de 2010 vai para...

...a querida Tulla Luana.

Se por um lado eu acho certíssimo essa criatura reclamar de tudo e de todos no youtube - e tem que reclamar mesmo, tem que falar um monte. Procon não deu certo? Coloque a boca no trombone.

Minha birra com ela é outra.

Não adianta usar uma doença grave - como a esquizofrênia - como muleta. Se o negócio no jogo deu errado? Ah, é porque eu sou doente. As pessoas encheram o saco dela no Orkut e no Twitter? Ah, é porque eu sou doente. Não, querida, todo mundo tá cagando e andando pra sua doença, estão tirando sarro da sua atitude diante de encarar comentários negativos e usar a doença para poder xingar pessoas (como fez com a @rosana) e falar que você é assim por causa do mundo injusto em que vivemos, mentira, você é assim porque você quer, se você é doente precisa de tratamento, preciso dos seus amigos e, principalmente, não precisa de todo o stress que uma "polêmica" na internet pode lhe causar.
Fiquei feliz por ter parado de xingar todo mundo e de reclamar das pessoas - a internet é um importante canal de relacionamento com o consumidor e a sua iniciativa vai levar a muitas outras legais, foque nisso aí e esqueça os babacas, porque eles sempre estarão em todos os lugares.




Post do Meme das Antigas. Clique aqui para participar também! É muito legal! =D

Em 2010 eu quis matar...

...TODO MUNDO!

E não há justificativa, só o stress do dia-a-dia, as pequenas coisinhas que me incomodam, a minha chatice e a vergonha alheia que muita gente no mundo tem o desprazer de me dar.

Post polêmicão do Meme das Antigas. Clique aqui!

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

A água e eu

O corpo humano precisa de 2 litros de água por dia pra funcionar direitinho.
Eu tomo uns 3 litros ou mais.

Eu adoro água, seja pra beber, pra tomar banho ou pra nadar. Bebo muita água todos os dias porque quero que os meus rins funcionem direitinho. Não tomo banho demorados, apesar de adorar tomar banho - gosto esse que eu adquiti há uns 10 anos, antes eu morria de preguiça de tomar banho (porcona). E nadar, bom, quem me viu no Blog Beach esse ano sabe: pulei do barco e sai nadando - louca.

Enquanto estou no serviço, e eu trabalho de madrugada, eu deixo uma garrafa de 1,5L na minha mesa. O objetivo é tomar esse 1,5L durante a noite e depois mais 1,5L durante o dia = 3 Litros de água.

E você, bebe muita água?

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Em 2010 eu descobri que...

É muito fácil se magoar com as pessoas e que ser decepcionado nem sempre é uma coisa ruim. Descobri que amor a gente não mede, não coloca em palavras e que a gente nunca sabe quando chega ou vai embora. Descobri que família é quem fica do lado da gente quando não temos mais nada na vida. Descobri que existe muita ganância e pouca competência no mundo. Descobri que os amigos de verdade não se importam se você sair na rua vestindo trapinho e que baladas legais rolam em porões também. Descobri que não precisa gastar dinheiro pra se divertir muito e que algumas coisas muito simples - e que estão no nosso alcance e nem sabemos - são muito melhores e bem aproveitadas quando achamos com quem aproveitar. Descobri que algumas pessoas que nem conhecemos podem ser muito melhores do que pessoas que conhecemos há anos e que nunca é tarde pra uma cobra se mostrar uma cobra. Eu descobri em 2010 que muitas coisas são superestimadas e que nem todas as surpresas são boas - mas que todas fazem de você uma pessoa melhor. Descobri que ser amargo e frio não te leva a nada e que revelar seus sentimentos - mesmo que eles sejam precoces - não dói no final.

Descobri que valor é o que a gente dá e respeito é o que a gente conquista.
Descobri que confiança é uma desculpa pra desconfiarmos das pessoas.
Descobri que amor a gente compartilha e pronto.
Descobri que eu adoro viajar mais do que adoro brigadeiro.
Descobri que eu sou uma cozinheira de mão cheia.
Descobri que saudade a gente não cura, aprende a lidar.
Descobri que o mundo não é tão cruel quanto a mídia gosta de pintar.
Descobri que amigos não precisam conhecer você há anos para serem os melhores.
Descobri que "logo ali" pode ser bem longe.
Descobri que um domingo em família pode valer um ano inteiro.
Descobri que carinho a gente não precisa pedir pra ganhar.

Descobri que a vida é bem simples, eu que complicava ela demais.


Esse post faz parte do Meme das Antigas. Recomendo a participação de todos. Clique aqui!

domingo, 19 de dezembro de 2010

Em 2010 eu quase...

...morri de tosse e de dor de dente.
...fui parar de gaiato no Programa do Raul Gil (longa história).
...cai da janela do prédio.
...fui atropelada por um carro-forte.
...fui pro exterior sem um puto no bolso.
...subi no palco pra cantar com o Velhas Virgens.

Tá bom né?



Esse post é parte do Meme das Antigas, clique aqui ;-)

sábado, 18 de dezembro de 2010

Em 2010 tive inveja de...

...de não, do feliz ganhador da Mega Sena acumulada.

Eu não ligo pra grana, sabe? Mas eu queria dar o mínimo de conforto pra minha família. Meu pai é um cara incrível que adora pescar, eu gostaria de ter grana pra comprar uma lancha ou um barco legal e dar de presente pra ele, sabe? Minha irmã queria ter mais filhos, eu adoraria pagar um tratamento ou coisa do tipo pra que ela pudesse me dar mais um sobrinho... E meu sobrinho, pô, o moleque é responsável, gente boa e não pega ninguém, tudo seria mais fácil se ele tivesse um carro...

Assim sendo, ganhar na Mega Sena faria todo mundo feliz: eu poderia vender cocos na praia e a família toda teria todo o conforto que, infelizmente, só uma bolada pode dar.

Esse post faz parte do Meme das Antigas, entenda!

A dificuldade de encontrar um lugar para morar

Ai ai, São Paulo não é fácil, viu?

Eu preciso de um lugar para morar. Um quarto, que seja, onde eu tenha acesso a um banheiro limpo e uma cozinha onde eu possa cozinhar. É simples né? Não, baby, não é.

Para alugar um imóvel em São Paulo você precisa: a) comprovar renda de 3 vezes o valor do aluguel e b) ter uma "garantia": fiador, seguro fiança ou caução.

O pessoal acha que é fácil "pô, divide com fulano", mas não é bem assim. Eu não posso locar, minha renda é baixa, meu complemento é feito de frilas e como não tenho empresa aberta, eu compro nota, não tenho como comprovar. Sacou o drama? A pessoa que locaria comigo precisaria, então, comprovar a tal renda de 3 vezes o valor do aluguel. Aí você junta isso com o seguro-fiança que é um porre de aprovar e aproveita e coloca na conta que um apto de 2 quartos não vai sair por menos de R$1000,00 numa região boa, perto de tudo. Não precisa nem abrir a calculadora do Windows pra fazer essa conta: a criatura tem que ter uma renda de, no mínimo, R$3000,00 para poder arcar com esse apto. Na boa? Quem ganha R$3000,00 vai morar sozinho e não vai dividir, né? Pois é, concordamos novamente...

Eu quero não perder as esperanças em achar um lugar pra eu morar. Pode ser dividindo o apto com alguém, pode ser um quartinho numa república, pode ser até uma pensão, desde que eu tenha privacidade... A única coisa que eu peço é que seja um ambiente limpo em que eu possa levar meus amigos sem reclamações... É, eu sonho alto, mas se eu não sonhar o que eu terei pra realizar?

Se você puder me ajudar, me indique para um conhecido ou coloque esse post no twitter, no facebook, no orkut, etc. Prometo que faço um bolo de prestígio pra quem resolver meu problemão ;-)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Em 2010 eu consegui...

...emagrecer 8kg!

Eu sei, nem é muita coisa e eu já engordei eles de novo e já mandei boa parte embora de novo, mas para mim é um exercício de superação, porque significa que eu tenho controlado a minha ansiedade, que desconto toda a carga negativa em outras coisas que não comida...

Emagrecer não é difícil e eu já fiz toda sorte de dietas possíveis - a que mais funcionou foi a dos pontos - mas quando você tem um problema com ansiedade é tudo muito mais complicado... Chefe te olhou torto, uma barra de Suflair; sua amiga não te ligou, meio pedaço de panetone; saudade, 10 bolinhos Panfi e por aí vai...

Não creio que eu tenha um distúrbio alimentar, não mais... Mas ainda é difícil me controlar. Pra começar, eu parei de comprar, porque ter em casa é motivo pra comer, quando você não compra rola aquela super preguiça de ir até o mercado e tal. Aí depois rola policiamento, sabe, você pode comer desde que não vá comer exageradamente.

Ano que vem quero voltar para meu peso ideal, que é de 65kg - eu tenho 1,70 - a verdade é que eu queria chegar nos 60kg, mas acho uma meta inviável por enquanto...

O que importa mesmo é que podem achar fútil o que for, me sinto poderosa com 8kg a menos!

Esse post é parte do Meme das Antigas, clique aqui para entender!

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Em 2010 eu tentei...

...não fazer burradas.

Claro que não deu certo. Essa coisa "pollyana zeitgeist segredo" de pensamento positivo não funciona pra mim - talvez eu seja uma pessimista tão ferranha que não acredite efetivamente no pensamento positivo - mas cá comigo creio que independente do pensamento ser positivo ou negativo, quando a gente erra é como levar uma tábua na cara, mas serve de aprendizado e conhecimento - mesmo que seja com seus erros - nunca é demais.

Cometi alguns erros sim. Não sei se me arrependo totalmente deles, porque talvez se não tivesse errado a vida não teria tido o rumo que teve e que até foi bom... Infelizmente não há e nunca haverá como voltar no tempo, por isso eu prefiro pensar que tudo o que aconteceu, seja burrada seja acertada, fez de mim uma pessoa melhor e mais capaz. Não vou ficar me martirizando porque eu errei, se o fiz foi culpa minha e de mais ninguém, nem quero ficar me lamentando - quando a gente fecha uma página com todos os gritos abafados do coração e da mente, sempre aparece uma novinha para ser preenchida e agora vou focar em encontrar uma nova folha.

E eu juro que acredito nesse pensamento positivo.

Esse post faz parte do Meme das Antigas, você pode entrar na brincadeira na metade, sem problemas, clique aqui! :o)

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Em 2010 eu pensei em fugir para...

Nossa, pra todo lugar! Acho que de toda a minha vida, esse é o ano em que eu quis e precisava fugir pra qualquer lugar. Eu queria ter que parar de me preocupar, ter de volta minha vida tranquila, dar um rumo para meus pensamentos e tentar sanar minhas dúvidas em relação a tudo e a todos.

Esse ano eu não queria amar e amei. Eu não queria chorar e chorei. Eu não queria aceitar e aceitei. E tudo isso, mesmo que algumas vezes fossem coisas boas, me faziam querer correr pelo simples medo do desconhecido.

Eu queria fugir agora, mas minha fuga seria diferente, porque eu sei que mesmo toda pequena jornada se torna especial quando nos sentimos especiais e, não entendo bem como, é assim que me sinto agora.

Esse post faz parte do Meme das Antigas, dá uma olhada lá!

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Em 2010 pela primeira vez...

...eu...

Poxa, não sei. Pela primeira vez em 2010 eu não sei de nada. Não sei como estarei amanhã, não sei o que eu quero para 2011 e não sei o que eu quero da minha vida.

Eu não tenho mais nenhum plano pro futuro. De novo a ideia de vender cocos numa praia naturista no Nordeste me parece extremamente agradável!

Minha barraquinha ali.


Esse post faz parte do Meme das Antigas, clique aqui!

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Meu melhor dia de 2010

Eu perdi a alegria de fazer aniversário depois que a minha mãe morreu, porque ela sempre encomendava - ou fazia - um bolo branco, de nozes e com cobertura de chantilly, que eu comia em doses homeopáticas pra durar mais...

Era especial, fazia eu me sentir especial e, de repente, acabou...

Esse ano, eu comemorei o meu aniversário com algumas amigas - a Amélia, a Fabíola, a Dani e a Renata, pra ser mais precisa - e foi maravilhoso. Ao invés de bolo, pizza de brigadeiro, mas nem é isso que importava, o legal era estar com elas...

Meu melhor dia de 2010 foi um dia tão simples, tão humilde, tão honesto, que não tinha como não ser o melhor.

Você pode brincar de Meme das Antigas também! Clique aqui!

domingo, 12 de dezembro de 2010

Meu pior dia de 2010

Em 2010 aconteceram muitas coisas ruins, mas nenhuma delas me deixou com uma sensação de impotência tão grande como quando descobrimos, eu e minha amiga, que ela estava grávida.

Ela havia me ligado e me mandado um e-mail uns dias antes, falando de que estava desconfiada, que ninguém sabia, só eu e que se ela realmente estivesse, não saberia o que fazer. Ela evitou fazer o teste, estava morrendo de medo. Chamei ela pra ir até minha casa, passamos uma tarde agradável juntas, pedi pra ela dormir lá, fui até a farmácia, comprei um teste e dei pra ela. Era a hora de saber a verdade.

Ela tomou, fácil, mais de dois litros de água, mas não tinha a menor vontade de fazer xixi - evitar o inevitável, eu diria - naquela hora ela estava um bagaço. Nunca tinha visto ela sem maquiagem, despenteada, com uma roupa qualquer e naquele dia, ela era o retrato da degradação. Ela estava triste, com uma tristeza tão aguda e doída, que doeu em mim.

Quando veio a confirmação, minha amiga, aquela que sempre passava por cima dos problemas, que sempre tem uma palavra de conforto para todo mundo, chorou. Ela não sabia o que fazer. Se abateu sobre mim uma sensação de impotência por não saber o que dizer naquela hora e por não conseguir dar uma ideia do que ela pudesse fazer... Minha melhor amiga, grávida de um avulso qualquer e eu, a única que sabia da situação, estava de mãos atadas e não tinha como ajudá-la.

Hoje ela e a família aceitaram o que aconteceu, afinal, aconteceu e não tem como voltar atrás. O bebê está lá, forte, saudável, vai nascer no Carnaval. Não consegui ir no chá de bebê, mas pretendo visitá-la bastante, principalmente agora com os últimos acontecimentos - fui relapsa, sai de perto quando ela mais precisou por puro egoísmo e agora vou voltar porque eu sei que ela precisa de mim e porque, de uma maneira mais secundária, eu preciso dela também.

O segundo pior dia do ano foi quando minha avó faleceu e eu não pude ir no velório. Senti a mesma sensação de ataduras em minhas mãos. Mas vovó precisava descansar, todos nós já sabíamos disso... Como eu costumo ver alguma beleza até nas tragédias, eu vejo que Vovó foi encontrar com minha Mamãe, de quem ela sentia muita falta e vai finalmente descansar, não tem mais dor onde ela está agora e o sofrimento se foi.


Esse post faz parte do Meme das Antigas e é um excelente exercício de memória em 2010. Alguns posts são bem divertidos, esse aqui é mais denso, a parte legal é que você pode brincar também. Clique aqui!

sábado, 11 de dezembro de 2010

Minha compra de 2010

Nunca vou me esquecer do dia em que acordei com uma sensação estranha, molhada, grudenta... Tomei um banho gelado para clarear as ideias e sai dali correndo, rumo certo.

Entrei no recinto sabendo o que procurava. Ao encontrá-lo e enfim estar de frente a ele, meu corpo tremeu num arrepio de prazer único. Não mais desmaiaria, não mais quereria morrer a estar longe de sua presença...

Meu ventilador é meu mais novo amado.

Esse post faz parte do Meme das Antigas. Já passaram uns dias, mas você ainda pode embarcar nessa, clique aqui ;-)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Minha música favorita em 2010

Acho que o "Bolero de Ravel" é minha música favorita da vida toda... Não é porque eu quero dar uma de intelectual que curte música clássica, eu até gosto mas meu negócio de verdade é chiar tamanco no pé de serra, mas acontece que algumas dessas músicas eternas, grandes clássicos ou qualquer nome que você queira chamar me inspiram, limpam minha mente e me acalmam.

No caso do "Bolero de Ravel" - que nem é um bolero - eu lembro do meu pai e da minha mãe. Minha mãe não se cansava de assistir a esse vídeo e meu pai ouvia toda noite antes de ir dormir - pra acordar tranquilo, ele dizia. Acho que é a música que minha mãe mais gostava, também... A verdade é que nem papai, nem eu, nem a Tata e nem o Marquinhos conseguimos ouvir essa música sem derramar algumas lágrimas de saudade. Minha mãe me ensinou muitas coisas, mas entre as mais preciosas foi aprender a escutar e admirar uma boa música.

,


Ela tem 17 minutos, na verdade, mas esses 6 já valem!




Esse post faz parte do Meme das Antigas, pra entender clique aqui!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Meu Show Preferido de 2010

Acho que nunca na minha história fiquei tanto tempo ser ir em shows como nesse ano de 2010. Perdi o SWU, perdi o Planeta Terra, perdi o Belle And Sebastian... Ou seja, esse ano, tá difícil...

Em maio eu fui num show que eu não ia há tempos: Rastapé. Eu sei que muita gente acha que nem combina comigo e muita gente discrimina porque acha que é tudo no naipe "Calypso", mas eu AMO um forró. Um bom xote e um bom pé de serra pra dançar e você vai ver uma garotinha super feliz!

Nesse show eu dancei MUITO. Há anos que eu não dançava tanto - e se não fosse a sapatilha pentelha saindo do pé, eu teria dançado ainda mais. O gostoso de sair pra dançar forró é que quem vai pra esses lugares não tá interessado em ficar com ninguém, nem ficar de pegação, sempre tem uns e outros, mas é a minoria. Pessoal vai pro Remelexo, pro Canto da Ema, pro Secreto, etc., pra dançar.

Por isso, mesmo que eu tivesse ido esse ano em todos os shows que eu queria ir, talvez eu não tivesse ficado tão feliz quanto em Maio, quando fui pro Canto da Ema ver o Rastapé tocar e me acabei de dançar.




Esse post faz parte do Meme das Antigas, você também pode participar, clique aqui para saber como!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Comer, comer...

Não é fácil ser gordinha. Não é nem pelo fato das roupas não ficarem tão bem de primeira, nem pelo fato dos pés incharem, nem por se sentir mal e ficar escondendo a barriga. Ser gordinha é difícil porque comer é muito bom.

Eu adoro macarrão. Massa é comigo mesmo. Eu até tento me policiar, mas quando estou chateada - o que é o caso no momento - tudo que eu gostaria era de fazer uma bela panelada de macarrão com queijo ralado - sem molho até - e comer inteiro, sozinha...

Meu problema com ansiedade ficou muito pior depois que minha mãe faleceu. Antes eu ainda tinha vontade de me controlar, hoje eu penso "comer é um dos maiores prazeres da vida, aproveita antes que seja tarde" e eu quero aproveitar. Já me passou pela minha cabeça que se um caminhão me atropelar ali na esquina, eu vou querer ter comido tudo que me deu vontade, porque eu não quero passar o resto da eternidade dormindo e com vontade de comer o benedeto macarrão, sabe? É uma coisa totalmente gorda e egoísta, mas faz sentido pra mim...

Sei que não é saudável ser "gordinha". Sei que também não é saudável ganhar de brinde um distúrbio alimentar com a dieta. Eu quero fazer dieta, sim, mas eu quero continuar comendo o que me dá prazer e o que me satisfaz...

Será que é tão complicado assim entender isso? Será que eu sou tão enorme de gorda assim que eu não consigo entender isso?

Meu lugar preferido em 2010

O começo do ano de 2010 foi bem difícil para mim. Quando não conseguia mais aguentar, eu tomava um ônibus e ia até um lugar chamado "Praia das Conchas", em Itanhaém. Lá tem um paredão de pedras, que dá numa caixa d'água, uma praia e outro paredão de pedras que chega em outra praia - tem, inclusive, um caminho de madeira.

Eu ia pro lado do paredão sem caminho, sentava lá e ficava olhando o mar.

Quando eu era mais nova, antes de ir pro vôlei, meu pai sempre me levava uma "marmita" e íamos nesse mesmo lugar comer. Na primavera dá pra ver as tartarugas que estão imigrando. Nenhum lugar no mundo me transmite tanta paz quando aquele cantinho, em cima das pedras...

Esse post faz parte do Meme das Antigas, caso você também queira brincar, é só ver como nesse link!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Koni Store São Paulo

Ontem rolou uma festinha bacana na Koni Store São Paulo. A rede de lojas que reinventou o Temaki tem agora uma loja na Alameda Jaú, pertinho da Rua Augusta e da Av. Paulista. No Rio ninguém mais fala "vou comer Temaki", todo mundo come "Koni", porque o diferencial deles está na mistura de sabores, no fugir do tradicional e é tudo bem acessível, é claro que ia virar mania : )

Me acabei de comer Hot Cubes, uns cubinhos de steel (salmão) que lembram aqueles chicken popcorns. Foi servida com os cubinhos uma maionese Hellmann's Supreme, fora que além do tracional Shoyo na mesa, tínhamos também Shoyo c/ Wasabi (todo mundo geralmente mistura, lá já tem a mistura), Teriyaki e gergelim.

O Koni de Steel com Cream Cheese é um absurdo de gostoso! Você sente bem o gosto do peixe fresquinho, assim como nos Rolls Filadelfia Steel (acho que era isso, não lembro bem), um hot roll diferente com o toque simples da cebolinha. Pra completar, Koni DOCE. Gente, Prestígio - cocada mole com NUTELLA - eu queria ter comido uns 10 daquele, mas eu já estava abarrotada de tanto comer! Hahaha!

Fora o cardápio delicioso - e super ace$$ível -, o ambiente é aconchegante, foge das cores "vermelho, preto, branco", tudo é laranja (e quem me conhece há muito tempo sabe que é minha cor favorita no mundo) o que transmite uma sensação de alegria, bem estar.

A Koni também está com uma promoção bacanuda, a "Koni Toca Seu Som", você compra um Kombo (que custa em média R$13 - pelo que eu lembro do cardápio, deixo claro) e com mais R$9,90 você ganha Caixinhas de Som estampadas super legais!

Sábado eu pretendo voltar lá com o meu priminho. Ele adora "peixe cru", no mercado é a primeira coisa que ele vai ver, se tem peixe do jeito que ele gosta, se acaba no sashimi e tenho certeza que vai adorar os hot cubes... Pra uma criança que troca - fácil - o McDonald's por temaki, o Koni será muito bem vindo!

Ambiente aconchegante - tudo laranja <3

As caixinhas da promoção!

Eu, Alê, Cíntia, Lili e a Luísa - que se acabou no camarão!

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Meu livro favorito em 2010

Falei num post esses dias atrás que Harry Potter faz parte da minha vida de uma forma única. Por isso demorei tanto pra ler o último livro, não queria que acabasse...

O último livro do meu herói adolescente... Eu descobri um mundo novo estudando de manhã, ele descobriu que era bruxo, eu fui arrogante, ele era arrogante, eu fui prepotente, ele era prepotente, eu senti medo, ele sentiu medo... Tem como não se identificar? Claro que isso torna os adolescentes meio iguais e tal, mas acho que é nessa igualdade de sentimentos que, quando adultos, nos tornamos seres totalmente individualistas.

Acho que eu já disse tudo sobre o meu livro do ano nesse post.


Esse post faz parte do Meme das Antigas. Quer brincar também? Clique aqui!

domingo, 5 de dezembro de 2010

sábado, 4 de dezembro de 2010

Meu site/blog favorito em 2010

Eu não conheço a Patrícia. Nunca vi e nunca tinha ouvido falar até o começo do ano, quando comecei a acompanhar suas postagens religiosamente no "Te amo, porra".

Tem dias que eu discordo profundamente dela, mas tem dias que eu entendo. Não é um blog que eu costumo comentar - até porque os comentários rendem boas discussões e nem sempre estou disponível (leia com vontade) de ficar dando F5 pra ver se alguém responde - então eu vou lá, leio, penso um monte, choro, me identifico e pronto.

Quando dá vontade, vou lá e releio algum post aleatório. Porque não é bem o que a Patrícia escreve, é o jeito como ela consegue expressar os sentimentos dela, do mais engraçado até o mais agudo e triste. Eu até tentei imitar ela algumas vezes, mas como eu acho não só o meu vocabulário limitado como também tenho essa dificuldade absurda em explicar as coisas escrevendo, me reservei ao direito de ler e de pensar, pensar muito.

Patrícia é uma mulher guerreira e corajosa. Todo mundo pode estar lá no blog rindo, mas ninguém sabe como a Patrícia está de verdade - e ela não é uma pessoa triste e depressiva como alguns posts podem demonstrar - mas sim alguém que precisa enfrentar muita coisa e que precisa desabafar.

Te garanto que se você fizesse o mesmo as coisas pareceriam "não tão ruins assim".

Esse post faz parte do Meme das Antigas. Quer brincar também? Clique aqui!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Como consertar um grande erro.

(Esse post trata do problema com a promoção da NISSAN. Para entender tudo, clique aqui, aqui e aqui.)

Sabe aquela velha história de que panela velha é que faz comida boa? Isso se aplica a ações em Redes Sociais. Quando uma marca procura uma agência para entrar nesse meio, eles também não sabem muito bem o que esperar e, vamos ser sinceros, ninguém sabe. O planejamento não deve ser só em cima de agradar o cliente, gerar visualização, ele deve ser voltado para a experiência do usuário e, principalmente, em como a marca e a ação agregam valor a ele.

Quando eu vi a @anarina (a Aninha) pedindo RTs no Twitter para ajudar a ONG Família Santa Clara, eu não pestanejei em ajudar. Eu enchi o saco da timeline inteira com a quantidade de RTs porque ali eu via a oportunidade de fazer algo interessante de verdade para quem precisa de verdade - ora, eu poderia ter entrado na promoção, mas não, eu e pelo menos 80% da minha timeline (coloca ai que eu sigo mais ou menos 450 pessoas, 80% dá umas 360 pessoas) estavam contribuindo, se for jogar a influência dessas pessoas em cima desse número eu chuto que alcançaríamos umas 5000 pessoas mais ou menos. Não é pouco e pra chegar no número (absurdo) de 44.500 já era um excelente começo.

Só que o que mais tem por aí é gente que acha que dando um "jeitinho" vai conseguir as coisas... Um perfil no twitter aparentemente usou script para ganhar a promoção. Ganhou um carro, mas não tem mais caráter, o que pra algumas pessoas pode não significar absolutamente nada, mas que para mim e para os 80% engajados em ajudar a Família Santa Clara significa muito, porque foi essa pessoa sem caráter que ganhou um prêmio sem esforço, sem realmente participar da promoção, ou seja, melando a ação inteira. Eu não li os termos, mas geralmente quando dá-se a fraude a pessoa é automaticamente suspensa, porém o pessoal não "viu" a fraude quando mostrada. Por que? Provavelmente porque eles querem mostrar números ao cliente. Pra eles, talvez, não importa quem tenha ganho, mas importa sim mostrar ao cliente que "olha, essa pessoa retuitou as 44.500 vezes e conseguiu o carro e veja quanta gente ajudou ela" e na verdade, ninguém ajudou em nada... Se for isso, só digo que como alguém que já trabalhou com Social Media (vide meu post Curriculum Vitae), eu teria vergonha de falar que trabalho com eles. Porém, nem tudo está perdido e eles podem recuperar sua reputação como agência (porque a galera já está metendo o pau) e, principalmente, podem recuperar a imagem do cliente.

Independente da alegação de fraude do usuário vencedor e, se mesmo assim forem dar o prêmio para eles, seria muito interessante se o pessoal fosse cara de pau pra chegar na galera da Nissan e falar "olha, uma galera entrou na promoção no super engajamento pra ganhar o carro pra uma ONG, eles não ganharam, será que rola dar o carro pra ONG porque isso geraria um super buzz positivo entre as pessoas que estavam tentando ganhar?" - Gente, topavam na hora.

Sério, se eu como cliente estivesse ciente da porcaria toda que aconteceu, é claro que eu daria o carro pra ONG. Um carro pra Nissan não é nada, mas pra ONG é coisa pra caramba, eles sabem disso e se a agência que faz o intermédio promoção/Nissan for realmente boa, eles serão sinceros e mostrarão o que poderá ser feito para arrumar tudo - principalmente a cara da Nissan nas Redes Sociais.

Queridos, merda acontece. Tenham sempre isso em mente, porque mesmo que a ideia seja genial pode acontecer de um infeliz acabar com ela, porque hoje vivemos num mundinho individualista onde, para alguns, dá pra passar por cima do interesse e das regras de boa convivência da sociedade em proveito próprio. O que fazer então? Usar da sinceridade e de boas palavras pra tentar arrumar as coisas, isso é ser VOLÁTIL. Para a marca, entender tudo o que aconteceu e mostrar que não quer só ver números, mas que se importa com as pessoas, isso é RESPEITAR. E respeito é difícil achar por aí.

Meu filme preferido em 2010

Em 2010 eu descobri que o trash é legal. Vi desde "Madrugada dos Mortos" até os mais brucutus como Mercenários. Mas acho que em meio a todo esse caos, zumbis e sangue jorrando, nenhum filme me marcou tanto em 2010 como Mártires.

Uma menina torturada consegue fugir, é resgata e vai para um orfanato, mas ela se lembra de quem a torturou e quer se vingar, ela é atormentada por um espírito que inflinge marcas no corpo dela e, no orfanato que a acolheu, conhece uma garota e faz uma amizade simples e singela com ela, tanto que ela só consegue confessar as coisas horríveis que passou para sua amiga. Quando mais velha, ela acha os agressores, vai em sua casa e finalmente consegue sua vingança... Mas, quando as amigas vão ver, aquelas pessoas são só a ponta do iceberg.

Lendo assim, não parece um filme bom, né? Nem parece um filme delicado, parece violento e perturbado. Ele é, em alguns momentos, mas em outros ele mostra a força de uma amizade e, principalmente, a força de uma pessoa, seus limites, a negação e a aceitação diante de fatos que se apresentam em sua total brutalidade e que são transformados em um sentimento capaz de dar vida a quem lhe foi privada.

Recomendo. Martyrs (em inglês) é um filme francês de 2008 que eu só descobri em 2010 e que, de alguma forma, me tocou e me mudou.

Este post faz parte do Meme das Antigas. Não entendeu? Clique aqui!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Mas 2010 ainda não acabou, vou tentar...

...não cortar o cabelo de novo.
...não gritar com ninguém.
...controlar meus gastos.
...ir numa manicure que presta.
...andar mais a pé e menos de ônibus.
...comprar presente pra família inteira.
...aprender a fazer bolo de fubá.
...comer menos carboidratos.
...não esquecer mais minhas chaves.
...dieta porque agora só falta um mês pra mostrar a pança pra galerë na praia.
...parar de tentar colocar o calcanhar no pescoço porque eu tô "véia".
...comer mais sorvete.



Esse post faz parte do Meme das Antigas. Não entendeu? Clique aqui!

Pera aí, 2010 tá acabando?

Ô ano que passou VOANDO. Nem vi que tinha chegado no final, quando eu me dei conta, dezembro... Natal, Ano Novo, amigo-secreto, neném da amiga pra nascer, reveillón no interior ou na praia ou em casa, ninguém decide nada, caramba como está caro o panetone, tia Carol me compra um brinquedo?

Final de ano a gente corre, corre, corre, não pra acabar logo, mas pra tentar aproveitar o restinho do que você deixou passar.


Esse post faz parte do Meme das Antigas. Não entendeu? Clique aqui.

Curriculum Vitae

Eu ficava no balcão da sorveteria quando era pequena, minha função era espetar a colher no sorvete das pessoas. Esse não foi meu primeiro emprego de verdade, mas é o que eu mais gostei, porque eu via muita gente.

Meu primeiro emprego de verdade foi na "Rosélia Braga", uma escola onde minha irmã era vice-diretora. Eu ficava na secretaria, fazia declarações escolares, históricos escolares, fuçava na vida dos alunos, montava carteirinha e ficava de olho em eventuais briguentos que pudessem aparecer. De vez em quando surgia algum pai/mãe meio problemático, daqueles que a gente fica até com dó da criança (por mais que seja um capetinha) porque sabe que a culpa de verdade não é dela.

Fui trabalhar, então, na prefeitura. O primeiro setor que passei foi o de Divida Ativa, que eu, aliás, detestava. Não pelo trabalho em si, que consistia em guardar fichas nos arquivos - que é meio ridículo né? - mas pelo pessoal. Não me aceitavam ali dentro, não gostavam do meu corte de cabelo, nem da maquiagem carregada nem do visual meio bizarro que eu usava na época. Eles eram todos meio fanáticos religiosos e não aceitavam quando eu não participava das "orações" deles e tal, porque eu não sentia no meu coração que eu precisasse daquilo, prefiro praticar a minha fé do meu jeito e eles me julgavam por isso.

Mudei de setor e fui pro Comércio. Opa, lá era bem legal! Tinha uma supervisora gente boa e uma diretora genial, peguei o jeito do serviço rapidinho - enquanto na DA eu ficava arquivando fichas, aqui eu tinha que fazer os cadastros no micro, receber, arquivar e encaminhar processos e fazia atendimento ao público - não lembro bem porque eu sai, mas acho que foi por causa do meu ex-namorado, ele não gostava do fato de eu trabalhar e ele não, daí ele pediu pra eu não trabalhar e ficar mais tempo com ele. Eu tinha 17 anos e me dava o direito de ser burra, mas aprendi a lição.

Um ano depois entrei no projeto social. Como era BOM trabalhar no projeto! Além de fazer minhas funções como assistente administrativo - a papelada de RH, controle das crianças, assessoria de imprensa e programações de atividades - eu ainda tinha o prazer de descer no pátio e jogar queimada, futebol, pular amarelinha e conviver com aquelas crianças que me ensinaram muito - ali eu não só via como pais podiam ser problemáticos e influenciar as crianças negativamente, como também vi muitas crianças tão inocentes que nem se davam conta dos problemas a que se sujeitavam. Era triste, mas elas encaravam com tanta alegria, que não tinha como sair de lá mal... Toda tragédia tem sua beleza, não é?

Um dia eu decidi que queria mudar de vida. Ficar rica. Hahahaha, podem rir, até eu estou dando risada. Eu achei que fosse fácil, que era só estar no lugar certo, então mudei para São Paulo. Trabalhei em três agências, todas com Social Media, numa delas eu era uma "semeadora", eu tinha que ajudar a ação a se promover dentro das redes sociais - tipo uma PR 2.0, com menos glamour -, em outra eu fui uma espécie de gerente onde eu pensava nas ações, o cliente aprovava e eu colocava o pessoal pra trabalhar - confessar que eu adorava o pessoal, por isso era muito mais fácil trabalhar com eles. Numa outra, a mais recente, eu também fui muito feliz, porque tinha que alimentar blogs, trazer pessoas pra seguirem as marcas nas redes sociais, tinha que ter boas sacadas pra escrever no facebook e no twitter - eu estava no meu ambiente, por isso era fácil - fora que o pessoal de lá era um amor, sinto saudade. Aliás, sinto saudade de todo mundo que eu tive o prazer de trabalhar nessas agências, porque eu aprendi muito com eles.

Antes de trabalhar nessa agência mais recente eu trabalhei no puxadinho mais legal do mundo. Lá eu entrei como redatora, comecei com pequenas notas, depois e-mail marketing e até catálogos! Não só adquiri muita experiência com o chefe mais legal do mundo - o Pavoni - como também aprendi que roxo e verde não combinam (por mais que eu queira), que tem pessoas que não sabem redigir um e-mail e vão te culpar por isso, mas elas podem porque estão pagando e, não menos importante, o cliente tem (quase) sempre razão. Pois é, tive que aprender essas coisas quando comecei a cuidar do cronograma e da agenda apertada do pessoal de design e do chefe - que já não era mais o Pavoni na época - acabei virando uma faz-tudo, de ligar pro cliente cobrando material, ligar pro fornecedor cobrando a prova e ligar pro Habbib's pra pedir esfiha - porque de madrugada todo mundo precisa comer.

Hoje eu trabalho com clipping. Busco na web uma porção de clientes e eles lêem só o que interessa. Para as assessorias de imprensa - e eu já trabalhei com isso sei como é - esse trabalho é fundamental e é bom saber que existem empresas especializadas nisso. Eu gosto do que eu faço, não tem glamour mas é simples, é fácil, é intuitivo e, como não preciso pensar muito pra fazer, ainda consigo ter tempo pra pensar.

Se eu gostaria de voltar pra alguma agência? Gostaria. Sei que com a minha bagagem posso ser muito útil, mas se pudesse escolher com certeza voltaria para redação. Não sou genial, mas tenho boas sacadas. Agora, se eu pudesse voltar no tempo, hoje eu levantaria cedo pra ajudar a Mamãe a arrumar a sorveteria porque mais tarde eu teria colherinhas para espetar no sorvete alheio...

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Eu chego no horário, pô.

Odeio me atrasar. Geralmente quando eu me atraso eu sempre me ferro, tipo na sexta feira que rolou o Youpix, eu sai de casa pra encontrar o pessoal 18hrs e cheguei às 19hrs e tive que descer a Augusta até a Av. Europa sozinha. Não que tenha sido ruim, eu adoro andar sozinha, em silêncio, eu e meus pensamentos, mas é legal andar em galera, principalmente quando é uma distância longa assim.

Fato é que eu faço as coisas no meu tempo. Pode demorar muito, ou nada, mas eu calculo exatamente quanto tempo eu vou precisar pra estar pronta, linda e cheirosa na hora certa. Aprendi isso com meu pai e, por mais que meu namorado diga o contrário, eu me cobro pontualidade até demais.

Pode parecer individualismo, mas eu gosto de controlar meu tempo, gosto de colocar o relógio pra despertar, enrolar um pouco na cama, tomar banho pra terminar de acordar e, aí sim, me preocupar com todo o resto. Funciona pra mim assim há uns bons anos, não vou mudar isso agora. Não entendo esse imediatismo também, tem tanta gente que se atrasa horrores e, opa, tá tudo bem. Eu tive um chefe que sempre atrasava pelo menos meia hora - ele era um amor de pessoa, mas nada pontual - e, por mais que eu brigasse com ele, esse era o hábito dele e pronto.

É claro que eu prefiro deixar tudo pronto antes, mas se bate a preguiça e eu sei exatamente o que fazer, não acho que eu precise correr pra deixar tudo pronto porque oh meu Deus vamos chegar atrasados e se chegarmos atrasados vamos morrer. Cara, eu queria chegar atrasado no dia da minha execução, sabe?

Não sei se é culpa do imediatismo dos outros ou da minha calmaria por ter sido criada num lugar e ambiente bem mais calmos (fora os gritos do meu pai pra ir logo), mas tudo que eu não quero é pressão em cima do que eu faço ou deixo de fazer na hora que eu faço ou deixo de fazer.

Não lembro onde li isso, mas "o relógio, além de te mostrar as horas, te escraviza" e prefiro acreditar que muitas pessoas, principalmente aqui em São Paulo, são tão agarradas ao relógio que perdem tanto tempo preocupadas com a hora que nem vêem a hora passar de verdade.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

O Monstro

EU não sei quando eu passei a me olhar no espelho e não me reconhecer mais. Eu não tinha ódio nenhum dentro de mim, não guardava mágoa de nada, não ficava com raiva por qualquer coisinha, eu sempre quis bancar a malvadona, mas eu sou uma manteiga derretida, uma coração mole... Mas acho que de tanto acreditar que eu não fosse tão boa assim, acho que me tornei uma pessoa amarga, fria, infeliz... Eu não queria, mas eu me tornei uma pessoa assim, uma pessoa que não fica feliz com nada, gananciosa, avarenta... Acho que de todos os pecados capitais, o único que não cometo é o Orgulho. Não me orgulho de mim, nem de nada que eu possa fazer, nem do que sou e nem do que eu posso ser e, é complicado perceber isso, sem orgulho próprio você fica sem muito amor próprio também...

Não sei quando foi a última vez que fiquei sozinha, mas de verdade, sem ninguém pra me encher o saco. Desde os meus 16 anos eu fico emendando um "amor" no outro, procurando sempre neles alguma coisa que eu não tenho... No Rafael era a verdade, no Vicente a aventura, no Alexandre era a simplicidade, no Pedro era a capacidade, no Vinicius era a força, no Leandro era o conforto, no Zé Paulo era o sossego e, agora, no "Internético" é a força de vontade. Nunca procurei amor. Nunca me deixei ser conquistada, eu sempre conquistei, ficava no pé até conseguir o que eu queria de cada um deles, sugando... Quando eu me tornei esse monstro? Quando foi que eu nem reparei? E o pior é perceber que eu fui tão infantil, otária, que eu magoei todos esses caras quando eles não me eram mais necessários, quando eles pararam de alimentar meu ego...

Eu não quero mais ser esse horror. Eu quero tentar deixar de ser monstro, de ser ruim, de guardar mágoa, de sentir ódio, de ter raiva por coisa pequena, de deixar todo mundo que está perto de mim pra baixo. Quando foi que eu passei a sentir inveja? Quando foi que eu passei a não me importar? Eu não sei dizer o ponto exato, mas eu já ferrei com muita coisa até agora, já acabei com amizades incríveis, com caras incríveis, com a minha família e com os meus amigos por coisas tão mundanas, tão pequenas, que só dizem respeito a mim e que eu coloco eles no meio.

Eu quero deixar de ser esse monstro, mas eu primeiro preciso arrebentar minhas amarras. Eu preciso ter iniciativa, preciso mudar, preciso começar tudo de novo. Eu sei que eu já perdi muito tempo, eu sei que não é a primeira vez, mas eu quero deixar de ser um monstro, pra me tornar o que eu sempre deveria ter sido: uma pessoa boa, porque, lá no fundo eu sei, que tenho muito disso dentro de mim.

Eu, Harry Potter e pequenas lições sobre o amor

Quando eu tinha uns 11 anos tive meu primeiro contato com um livro do Harry Potter. Foi uma menina que me emprestou, ela me via batendo a cabeça lendo Machado de Assis - que, convenhamos, é bem difícil pra uma criança - e achou que talvez eu fosse gostar. Como a literatura era bem mais leve e com termos que eram fáceis de entender, devorei os dois primeiros livros em uma semana.

Eu também já fui pequenininha assim...


Harry Potter não é a história de um menino humano que vira bruxo e coisas extraordinárias acontecem. Isso é o que as pessoas que nunca leram devem achar de que se trata. Harry Potter é muito mais confuso e complexo, por isso que ler na minha pré e durante a adolescência, percebi um monte de coisas.

Quando Harry era novinho e Hagrid apareceu pra levar ele pra Hogwarts, um mundo de descobertas desdobrou-se a sua frente. Um menino que era desprezado pelos tios, de repente, tinha um propósito. O que no começo era curiosidade infantil, aos poucos, se transformou em arrogância e, no final, em sabedoria. Ver Harry crescer e crescer junto com ele, compartilhando experiências simples ou o simples desejo de uma "aventura". Eu lia um capítulo antes de dormir e sonhava que estava lá, junto com ele e hoje vejo que não era só pela fantasia, era também pela amizade. Eu não sei ter amigos, até hoje... Confesso que tudo que eu mais queria era parar com essa mania de afastar as pessoas de mim ou de sumir por tempo indeterminado. Foi com os livros de Harry Potter, principalmente com o último, que por acaso só li recentemente, que percebi que as coisas "são" o valor que damos para elas. Se damos muito valor, elas serão valiosas, por isso é importante dar valor apenas ao que realmente importa. Liberdade é triste se não temos com quem compartilhar, certo?

Demorei pra ler o último livro. Confesso que não queria ver o final da história. Não queria que fosse bom, que fosse ruim... No final, eu vi que era necessário terminar de ler, porque tudo na vida tem um final - inclusive a própria vida - e que, apesar de tudo, pode ser um final feliz.

Eu tive um Severo Snape, era minha professora Regiane, mãe do meu amigo Júnior. Ela pegava muito no meu pé, gritava na sala que eu era uma libertina (e eu nem sabia o que era isso), que eu deveria ter respeito por ela e pelos meus colegas ao tentar sempre impor meus argumentos... Na verdade, ela me ensinou a argumentar, antes eu queria que todo mundo pensasse como eu e no final ela me ensinou que eu tenho que ouvir os outros argumentos e mesmo que eu não concorde, tudo bem, porque a sociedade é feita de diversidade. Alguns anos depois, quando eu já não tinha contato com ela, estudei com o Júnior, ele comentou com ela que estudava comigo e ela confessou que nunca tinha tido uma aluna tão boa, que eu deveria estudar pra ser Juíza. Quisera eu ter seguido o conselho dela - já estaria formada em Direito... Mas, assim como nos livros de Harry em que ele tenta, tenta, tenta, mas não pode voltar no tempo pra salvar seus pais, agora já é tarde demais pra eu salvar uma carreira promissora - o que não me impede de pensar numa nova carreira, certo?

Rony e Hermione são meu sonho dourado. Como falei, não sei ter amigos, mas gostaria de ter por perto alguém que ouvisse tudo, que soubesse toda a verdade, que me perdoasse mesmo sabendo da quantidade de erros que eu cometi e, claro, que me salvassem de algumas encrencas. Talvez eu nunca tenha amigos assim, talvez eu tenha e não saiba ou não perceba...

A verdade é que foi bom terminar de ler o último livro, mesmo que tão tarde, porque agora, de uma vez por todas, eu aprendi que a vida é muito melhor se tivermos pra onde fugir, quem abraçar e tomarmos as decisões certas quando for a hora...

... confesso que ainda estou com medo de ir ver o último filme, eu realmente não quero que eles acabem!

Sei que o texto ficou bagunçado mas não sei escrever tudo certinho, com começo resuminho, meio explicadinho e final conclusivinho.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Companhia Teatral Olhos de Dentro apresenta Shakespeare Eterno

Eu adoro Shakespeare desde que li "Sonhos de Uma Noite de Verão". Ao contrário de todo mundo que lê Shakespeare, eu não comecei por Romeu e Julieta, ao contrário, como sabia que era a mais famosa obra deixei por último. Já fiquei confusa como Hamlet, já ri muito com A Megera Domada e chorei copiosamente com Rei Lear, ou seja, Shakespeare consegue aguçar cada um dos seus sentidos, te faz sentir com a alma e é isso que torna a leitura e as interpretações de suas peças ainda mais intrigantes. Ao meu ver, assim como Elvis, Shakespeare também não morreu, ele vive em cada singelo sinal de amor que só ele conseguia descrever.

Posto que Shakespeare aguça os sentidos e mexe com a sua alma, eis que recebo o release abaixo da Companhia Teatral Olhos de Dentro. Pessoas com seus sentidos mais aguçados, especiais, portadores de Sindrome de Down e de deficiência visual e auditiva vão mostrar no palco que Shakespeare não só vive, como pode tocar o coração de qualquer pessoa, assim como eles tocarão o seu.

Estreia dia 25 de novembro no Teatro Ruth Escobar em São Paulo a peça “Shakespeare Eterno”, da Companhia Teatral Olhos de Dentro. O espetáculo apresenta cenas marcantes de textos de Shakespeare com uma linguagem contemporânea e tem em seu elenco, entre atores sem deficiência, cadeirantes, portadores de Síndrome de Down e portadores de deficiência visual e auditiva. Henrique Taubaté Lisboa está no papel de Shakespeare, que conduz a plateia em uma jornada através de suas obras.
O texto foi adaptado pelo premiado Carlos Meceni, que considera a peça um intensivo de Shakespeare por apresentar as cenas mais significativas de seus principais textos como A Megera Domada, Sonho de Uma Noite de Verão, Hamlet, Macbeth, Othelo, entre outros. A Filarmônica Jovem de São Bernardo do Campo, sob regência de Daniel César Martins, acompanha ao vivo o espetáculo. A direção é de Nina Mancin, atriz, diretora e pedagoga que coordena a Companhia Olhos de Dentro há nove anos.



Serviço
Shakespeare Eterno
Quinta-feira: 21h
Curta temporada – 25/11 até 16/12
Entrada Franca
Teatro Ruth Escobar
Rua dos Ingleses, 209
São Paulo – SP
(11) 3289-2358

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Metallica 2011

Fui eu no Votorama pra votar em qual show eu não posso perder em 2011 e, bom, agora é fato que eu não posso mesmo:


Então, fica a dica, não quer me ver surtando favor me dar ingressos pra ir ver o Metallica no Rock In Rio.

(Eu sou MUITO chata surtando, não queiram conhecer esse meu lado)

domingo, 21 de novembro de 2010

Sobre o show do Paul McCartney

Querido Paul,

Eu sempre te achei muito mais gato que os outros Beatles. Quando você resolveu que podia cantar, eu passei a te achar melhor que o Lennon. Eu acredito que você é você mesmo já que você tem a mesma fuça desde que ficou conhecido como um "menino de Liverpool". Você revolucionou a música junto com seus companheiros.

Eu acho você incrível e por isso você vai concordar comigo que farei um uso muito melhor do meu dinheiro se não for ao seu show, afinal, o seu show vai durar pouco e eu prefiro ter você ao meu lado pra sempre. Por esse motivo, vou usar meu dinheiro pra alguma coisa melhor, me alimentar por exemplo, e vou comprar um CD com as suas músicas, ok?

Espero que entenda.

Um beijo carinhoso.
Carol

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Calma, eu já volto...

Essa semana está "punk rock hard core", mas eu prometo que na semana que vem, se tudo der realmente certinho, volto a postar regularmente.

Sinto saudade, não pensem que fico despreocupada em ver o cantinho que abri com tanto carinho às traças assim, tão cedo.

Mas eu volto.

Eu sempre volto.

Prometo não virar andróide.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Original x Versão - #4

WOMANIZER

Original - Britney Spears


Versão - Franz Ferdinand


(Tem um monte de versão pra essa música, mas essa é imperdível!)

terça-feira, 9 de novembro de 2010

O ENEM, o orgulho e o descaso.

O ENEM é o trending topic nacional, só se falam nos erros e que vai ser cancelado e que ProUni o ano que vem ninguém sabe ninguém viu. Pois eu não estou aqui pra criticar o ENEM em si, nem pra tomar partido de um dos lados, eu vou falar o que eu penso e eu espero que vocês entendam.

Primeiro, um pouco da história do ENEM que eu achei na WIKIPÉDIA:
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma prova criada em 1998 pelo Ministério da Educação do Brasil que é utilizada como ferramenta para avaliar a qualidade geral do Ensino Médio no país. Posteriormente, o ENEM começou a ser utilizado como exame de acesso ao Ensino Superior em universidades públicas brasileiras através do SiSU (Sistema de Seleção Unificada). O Enem é o maior exame do Brasil, que conta com mais de 4,5 milhões de inscritos divididos em 1.698 cidades do país.
A prova também é feita por pessoas com interesse em ganhar pontos para o ProUni (Programa Universidade para Todos) e, a partir de 2009, além de servir como certificação de conclusão do Ensino Médio em cursos de Educação de Jovens e Adultos (EJA), antigo supletivo, substituindo o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).
Fica claro para todo bom entendedor que o ENEM é essencial para o país pois dá a oportunidade de formação, de acesso e também de estudo, visto que baseando-se nas notas do ENEM é possível avaliar a qualidade do ensino. O ENEM também não é uma prova difícil, boa parte dela dá-se da interpretação dos alunos... Lembro bem de ter ido no ano de 2005 (parece que foi ontem!) fazer o meu primeiro ENEM, nervosa, querendo morder o lápis e a caneta até eles se acabarem, unhas então não existiam desde a noite anterior, afinal eu poderia usar a minha nota do ENEM para entrar na tão sonhada faculdade (que eu acabei adiando por questões filosóficas, depois pessoais e ainda não fiz), era um mundo de oportunidades que começava ali, com aquela prova rosa que me foi entregue. Acertei 58 das 63 questões, mais de 70% da prova e na redação atingi a média de mais de 80%. Lembro que quando entreguei a nota para os meus pais, vi um sorriso de orgulho tão sincero, mas tão sincero, que eu me enchi de orgulho próprio também. 63 questões, 4 horas de prova, 3 rascunhos de redação e mais 5 folhas com fórmulas, contas e deduções. Isso era o ENEM quando eu o fiz e eu achava ótimo, achava que era o método definitivo.
Dizem que em time que se está ganhando, não se mexe...



A nota do ENEM virou objeto de desejo quando passou a "dar vaga" para universidade pública e, lógico, a prova teve que ficar mais difícil. Por algum motivo acharam que aumentar o número de perguntas ia fazer com que fosse mais complicado resolver. Aí resolveram que pra fazer a redação precisa de mais tempo, então vamos colocar mais um dia de provas. Ah, se é assim, vamos proibir que os alunos utilizem lápis (!) e borracha (!) e quem controla o tempo são os fiscais, que vão receber um treinamento.
Nada disso aconteceu. Os fiscais não foram capazes de barrar um crime, um jornalista de PE que entrou com um celular e vazou o tema da redação, talvez por falta de treinamento. Agora dizem que a prova não foi auditada, que tinha cartão resposta errado... Sobre as questões erradas eu nem falo, porque acontece mesmo, mas cartão resposta? Prova? A mesma gráfica que, no ano passado, deixou vazar a prova, esse ano pisou na bola de uma maneira muito pior, fora a falta de informações e o descaso para com os alunos.


O ENEM esse ano está servindo para testar a paciência dos alunos, dos pais e das instituições de ensino, tratando com descaso e não assumindo suas próprias falhas inclusive perante o Ministério Público. Uma ferramenta tão importante para o ensino brasileiro está sendo jogada no lixo.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Irmãos, artistas e ídolos teen

EM 1998
Quando eu tinha 10 anos e estava na quarta série do ensino fundamental, minha amiguinha Camila levou um CD pra gente ouvir - todo mundo era meio fanático por Chiquititas na época - e era de uns meninos loirinhos cabeludos... Quem tinha mais ou menos a mesma idade que eu nos idos de 1998 lembra da febre que foi aquele primeiro CD do HANSON e sua música chiclete "Mmmbop", que todo mundo sabia cantar o refrão porque não tinha segredo e nem era em inglês. Os três são irmãos, Ike de 16 anos, Tay de 13 anos (e o favorito de 11 em cada 10 meninas incluindo a mim) e o fofo Zac de 11 anos, foram as primeiras paixões da minha vida e de todas as minhas amigas.(1)
Naquela época o Hanson era assim:

Eu já tinha bom gosto, olha que lindão o Tay!
Pouco tempo depois que comecei a ouvir o som do Hanson, me interessei por outros tipos de músicas, então foi uma coisa bem passageira e rápida, mas que dá saudade.
Hoje o Hanson é assim ó:

Tay, eu sabia que você ia ficar fofo pra sempre! SEU LINDO
EM 2010
Hoje em dia as meninas não estão desamparadas de suspiros pré adolescentes... Além dos solos Miley Cyrus e Justin Bieber, tem três irmãos que são artistas e ídolos teen - o JONAS BROTHERS é muito parecido com o Hanson em alguns aspectos: eles fazem as meninas suspirarem pelos cantos, colecionarem pôsters, wallpapers, adesivos, álbum de figurinhas e ainda ficarem ligadinhas na TV já que eles tem uma série e os filmes Camp Rock. Eu não tenho mais idade pra escutar Jonas Brothers, não sei se tem meninas na minha idade que ouvem e nem julgo, eu só acho que eu passei da fase "teen" em que eles se encontram, mas como fã assumida do Hanson, que foi crescendo e amadurecendo as músicas, creio que o Jonas Brothers fará algo parecido, não focando sempre no público adolescente - até porque nem eles serão adolescentes pra sempre - e vão amadurecer e serão mais pra frente os ídolos de muitas mulheres, que lembram com carinho da época mais gostosa e mais confusa da vida: a passagem para a vida adulta... Agora, me desculpem as fãs de Jonas Brothers, os irmãos do Hanson eram muito mais bonitos héin? (Brincadeira, são todos lindos!)
Aposto que o Kevin mais velho será o mais bonito.

(1) Não sei se todos os pais e educadores concordam comigo, mas essa paixão pelo ídolo, se moderada, é bastante saudável, lembro de trocarmos postêrs, papéis de carta e adesivos do Hanson no recreio, de ficar suspirando pelos meninos, de ouvir as mesmas músicas 397 vezes por dia e deixar que os três entrassem nos nossos sonhos - o que rendia noites bem tranquilas sem pesadelos. Pelo menos para mim essa parte gostosa de ter o "amor platônico" pelos ídolos foi muito bem aproveitada e me ensinou muita coisa, inclusive sobre relacionamentos, isso sem contar que despertava o meu interesse para questões mais polêmicas que eram tratadas nas músicas, como o primeiro beijo e, assim, abriu-se a porta para um mundo novo, a mudança da infância para a adolescência, as descobertas e, mais uma vez nas letras das músicas, a paciência para que essa passagem não fosse uma experiência traumática. Claro que não é nada saudável quando esse amor platônico vira uma obsessão - por isso mesmo eles devem ser acompanhados de perto pelos pais e servem para que as meninas aprendam a ter limites na paixão, que alguns sentimentos são absurdos hoje, mas amanhã ou depois vão embora - amar um ídolo, na minha opinião, é acima de tudo aprender que existem diversas formas de amor e que nem todas elas são palpáveis, algumas ficam só na cabeça e é por isso que elas são tão boas, porque quando você cresce, se apaixona e a paixão passa a ser um relacionamento as coisas podem complicar e esses amores da cabeça da gente nunca mudam, eles sempre vão ser simples e gostosos de aproveitar. Muitas adolescentes "matam e morrem" pelos seus ídolos, quando chega aos extremos esse amor saudável passa a ser um problema, por isso a atenção dos pais é tão importante, é imprescindível deixar claro que por mais amor que elas tenham, não vai conseguir efetivamente o mesmo amor de volta e que tudo que elas podem esperar é o carinho de ídolo para fã e nada mais. Não é difícil, as meninas de hoje são muito mais inteligentes do que eu era com a idade elas ;-)

P.S.: ainda ouço muito uma música do Hanson que chama "Save Me", tocou em uma novela e minha prima Larissa adorava. Quem puder (e quiser) ouça Mmmbop e Save Me, por mais que não tenham muitos anos de diferença elas mostram a evolução musical dos irmãos. Ei, podem me zoar por gostar de Hanson, eu não ligo... Você gostava de Molejão e Só Pra Contrariar que eu sei, pelo menos Hanson mantém (um pouco da) minha dignidade hahahaha!

P.S.2: até pensei em falar de KLB, mas eles não fizeram parte da minha vida e sei que por mais que tenham arrancado suspiros de muitas meninas, não os vejo como super-ídolos-teen, a verdade é que eu acho que a carreira deles foi muito rápida... Se fosse para falar sobre irmãos artistas e ídolos no Brasil, eu poderia citar Sandy & Júnior, mas aí sairia da linha de trio. ;-)

sábado, 6 de novembro de 2010

Teleton 2010 - Como doar?

O Teleton está em sua 13ª edição, a meta neste ano é atingir o número de 20 Milhões de Reais para construir uma nova unidade de tratamento em uma cidade que será revelada apenas ao final desta edição - Surpresa, oba!!!
A AACD é a Associação de Assistência à Criança Deficiente, em 60 anos a associação atendeu 15 milhões de crianças, jovens e adultos.

Para doar $5 reais, ligue para 0500 12345 05
Para doar $10 reais, ligue para 0500 12345 10
Para doar $30 reais ou mais, ligue para 0800 775 2010
Acesse www.teleton.org.br e doe qualquer valor
Quem doar $60 reais ganha um mascote do Teleton (Tonzinho OU Nina).
Se doar $100 reais, leva os dois!


Entre em contato com o Teleton para maiores informações e doações!

FACEBOOK http://www.facebook.com/pages/Teleton-Brasil/149370795104330#!/pages/Teleton-Brasil/149370795104330

TWITVOU http://twitvou.com/145

FLICKR http://www.flickr.com/photos/55570441@N06/

YOUTUBE www.youtube.com/teletonoficial

Twitpic http://twitpic.com/photos/TeletonOficial

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Não entendo...

...porque de tamanha ignorância nessa eleição.

Independente de quem ganhou, o que você ganha xingando paulista, nordestino ou o raio que o parta? Você não ganha absolutamente nada! Você vai continuar levantando cedo na véspera de feriado porque é ponto facultativo, vai enfrentar fila no banco e na lotérica no quinto dia útil, vai xingar a operadora de cartão porque não aumentam seu limite, vai gritar com o animal que fica na porta do metrô, vai descer 11 andares de escada porque o elevador tá demorando e você tá atrasado, vai cantar sozinho no trânsito só pra desopilar porque o mundo está te cansando, você ainda vai chegar em casa e a louça estará te esperando, você olha a geladeira e não encontra muita coisa porque esqueceu de passar no mercado, você vai continuar passando mais horas no ônibus do que almoçando, você ainda vai querer chegar em casa e ver um sorriso, ainda vai tentar arruamr tempo pros amigos no final de semana, ainda vai sonhar e vai constatar que algumas coisas bobas simplesmente não valem a pena...

A sua vida, eleitor, não muda nada.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Não suporto #1: gente que se acha espertona no metrô

Não suporto gente parada na porta do metrô. O cara se acha no direito de ficar ali paradão, de costas pra todo mundo e olhando pra fora enquanto você tenta desesperadamente sair, aí você pede licença o individuo nem se mexe, te olha com cara de paisagem e você tem que sair atropelando - aí o infeliz se mexe só pra reclamar de você... Não entendo, mano...
SO LINDO?
Outra coisa que eu não entendo é gente desfilando no vagão, tipo, o trem tá vazio e a amiga fica lá segurando nas barras um de cada lado do corredor, tipo fechando o negócio mesmo. Aí você quer passar porque a lógica das portas nem sempre funciona (um dia eu explico, não é difícil mas nem sempre funciona) e você tem que olhar pra cara da gatona e falar "então, né, licença" e ela faz cara de "ai que brega você vio", ou seja, você quer passar pra ficar mais fácil de descer e tem gente que fica se pendurando no corredor. Pior, tem gente que tira foto no metrô - alô, foto em metrô e ônibus é o mesmo que jogar a dignidade no lixo (nunca olhem minhas fotos no orkut) - pior ainda é horário de saída de faculdade, aquele monte de universiotário tudo meio beubo te empurrando e falando muito alto, como se fosse o maioral só porque pegou uma bolsa no ProUni, tipo, caguei se você quer fazer uma faculdade merda só porque tem bolsa (conheço vários), não gosto de gente que come ovo e arrota peru.

Você pode SUA LINDA

Agora, só pra finalizar, gente que para do lado esquerdo da escada rolante. Essa é, de longe, minha maior revolta com as pessoas que pegam o metrô. Em algum dia da vida de milhões de brasileiros alguém, por algum motivo idiota, disse que escada rolante é pra você ficar lá paradão que ela faz tudo por você - TÁ ERRADO!!!!!!! Escada rolante auxilia a sua subida, se você é incapaz de subir ok ela sobre você, mas se você tá com tudo em dia ela serve para te auxiliar, pra você subir mais rápido, sacou? Por isso que tem vários cartazes no metrô falando "deixe a esquerda livre", se você não está com pressa é só ficar do lado direito da escada. Não sabe qual o lado direito? É o lado onde você coloca a aliança de compromisso - porque quando se trata de relacionamento brasileiro entende tudo né? - tem quem coloque o relógio na mão direita, mas geralmente é na esquerda. Enfim, se informe com alguém, o lado que você escreve é um, o lado inútil é outro, simples... Tipo, faz uma mega ultra plus advanced fila no metrô logo cedo porque uma única pessoa preguiçosa fica lá paradona e não se toca de que tem gente querendo passar. Juro, já vi duas pessoas no mesmo degrau cada uma se encolhendo de um lado pra deixar o meio livre pras pessoas passarem (!!!!!), mas subir UM degrau e ir pro lado direito, não pode, né? Ah vá...

UMA pessoa causou tudo isso. Reflita.
E é isso... Transporte público é uma bosta, metrô não é tudo isso e o usuário também não colabora...

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Original x Versão - #3

UMBRELLA

Original - Rihanna


Versão Acústica - The Shures


Eu particularmente adoro a versão...

Porquinho alado

Só queria comunicar que eu não sumi, nem sai voando feito porquinho alado. Ainda não virei torresminho, ainda tô toda cheia de inspiração mas os dois últimos dias foram de uma correria sem fim.

O que eu posso adiantar é que tenho uma fada madrinha na vida!

"Por mais feia que seja, a lagarta vira borboleta..."
 Não sei como será o dia de amanhã - ninguém sabe - mas sei que todo dia, quando deito a cabeça no travesseiro, eu agradeço por tudo que eu tenho... Todo dia é uma conquista, nem tudo nessa vida vem fácil... A verdade é que estou me livrando de muitas coisas que me "seguravam", que não me deixavam evoluir como pessoa... E que agora eu consigo, por mais duro que seja.

Quero agradecer aos amigos, aqueles que estão do meu lado apesar de tudo e que sabem que por mais que me faça de sachê de chá, sou mais saco de café mesmo...

Sonhei com mamãe esses dias e fiquei morrendo de saudade...

Vou me despedir aqui como mamãe se despedia no blog e nos e-mails dela:
Um beijo e um queijo!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Corretores de Imóveis não ligam pra você

Não sei se eu que não dou sorte ou se a categoria é mesmo grosseira, mas o caso é que Corretores de Imóveis não retornam as minhas ligações.

Não entendo o descaso que esses senhores tem com os clientes, é ridículo que não possam dar um retorno satisfatório, que não possam nos atender e que não possam explicar os detalhes.

Eu não nasci sabendo, até ontem eu não sabia calcular o seguro-fiança de um imóvel e como nenhum fucking corretor pode me ajudar, eu tive que me virar sozinha pra aprender... Se for pra contar com a boa vontade de Corretores de Imóveis ninguém acha um lugar pra morar.

Fico indignada com isso, tudo que eu quero é sentar e assinar o contrato e tem um infeliz desses pra dificultar pro meu lado... Eles tem suas ocupações? Tem, todo mundo tem, mas o trabalho deles é fazer com que imóveis sejam alugados e não retornando as ligações de alguém desesperado como eu, como isso pode acontecer?

Decepcionada me define no momento.

Cena LOOOOOONGE da realidade

De Graça: encenação do conto "Venha Ver o Por do Sol"

Os alunos do Colégio Dante Alighieri farão a teatralização do famoso conto de Lygia Fagundes Telles - "Venha Ver o Por do Sol" - realizada pela Academia Paulista de Letras.

A autora estará presente ao evento e falará aos presentes como surgiu a inspiração para escrever esse conto.

Confira os detalhes no flyer abaixo:

(Essa publicação é um release, caso queira divulgar sua marca, produto, banda, etc., me envie um e-mail: carolmmv@gmail.com e se o assunto for do interesse do blog, posso publicar!)

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Para crianças: Estreia nova animação no Discovery Kids - Conheça os Octonautas


O novo desenho que estreia no Discovery Kids se passa em águas profundas!

Octonautas se baseia em uma série de livros, divididos agora em 25 aventuras de meia hora cada. A animação é voltada para os pequeninos em idade pré-escolar, entre 3 e 5 anos.

O diretor é Kurt Mueller, que já trabalhou na "Vila Sésamo" e produziu "Pinky Dinky Doo", já viu "Peixonatura" (desenho brasileiro) e disse que sempre tem espaço pra mais um no oceano!

Octonautas é descrito por Mueller como "uma Liga da Justiça dos oceanos". A criançada, sabemos, vai adorar a ideia de se aventurar embaixo da água!

Os personagens são liderados por um urso polar, estão no grupo um gato pirata, um pinguim enfermeiro, uma coelha, uma cachorrinha, um polvo, uma lontra e vegetais esquisitos.

Octonautas
De Segunda a Sexta às 7h30 e às 15h no Discovery Kids
Classificação Livre.



Achei o traço super fofo, daquele que dá vontade de abraçar, resta ver o desenho pra ver se além de bonitinhos os Octonautas são educativos, o que podemos deduzir pelo histórico do canal.

sábado, 16 de outubro de 2010

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

De graça: "Flávio de Carvalho desveste a Moda da Cabeça aos Pés" no MuBE

Clique para ampliar

C&A apresenta a exposição “Flávio de Carvalho desveste a Moda da Cabeça aos Pés”

Com iniciativa e realização da Livre Conteúdo e Cultura, a idéia da exposição nasceu a partir do lançamento do livro “30 anos de moda no Brasil – 80, 90, 2000”

Os ingredientes são vários, temos o primeiro estudo de moda produzido no Brasil por Flávio de Carvalho, um grande artista plástico e pensador que será homenageado na bienal internacional deste ano. Alem disso, a riqueza da união da arte com a moda que se manifesta também na curadoria de Agnaldo Farias e Mariana Lanari. Ele, curador da Bienal Internacional de São Paulo deste ano, e ela, editora do livro “30 anos de moda no Brasil -80,90,2000”, além de diversos livros de moda publicados no Brasil. Tudo isso aliado a uma vasta pesquisa nos acervos dos mais renomados fotógrafos brasileiros.

Flávio de Carvalho (1899 – 1973) foi um grande artista brasileiro. Pintor, desenhista e arquiteto modernista, Carvalho se dedicou a estudar a relação entre a moda e os movimentos da história entre os anos 30 e 50. O resultado desse trabalho foi publicado semanalmente no suplemento feminino do Diário de São Paulo entre março e outubro de 1956. Seus textos constituem o primeiro estudo sobre moda produzido no Brasil. E é por sua relevância que, embora tenha falecido justamente nos anos que antecedem o período tratado pela exposição, a importância que sempre creditou à moda, e o corpo de conceitos que ele elaborou serviram de guia para essa mostra.

Dessa forma, as imagens foram distribuídas de acordo com temas relacionados às partes do corpo. Tais como: cabeça, cabelo, pensamento, sonho, visão geográfica, joias, ombro, cintura, pernas, calça, pontas do corpo, bailado, sapatos e pés. Cada tema é representado por um conjunto de imagens, que enfatiza aspectos que se repetem nos últimos 30 anos e outros que são de momentos isolados. E para cada grupo foram utilizados excertos de textos de Flávio de Carvalho, que iluminam os aspectos representados e fornecem aos visitantes chaves de leitura para que possa olhar cada imagem e a si mesmo para além da superfície.

Cerca de duzentas imagens são utilizadas no total, todas extraídas de uma extensa pesquisa nos acervos de diversos fotógrafos brasileiros. São fotos das décadas de 80, 90 e 2000 que retratam de forma ampla as transformações sociais sofridas na moda: das ombreiras oitentistas que refletiam o poder recém adquirido das mulheres, passando pelo look masculinizado de terninhos em cores neutras e pouca maquiagem dos anos noventa até os anos 2000, onde a ausência de tendência e o consumo instantâneo refletem o espírito do tempo.Tudo retratado de forma atemporal pelas lentes de grandes fotógrafos de moda como Bob Wolfenson, Gui Paganini, Jacques Dequeker, Daniel Klajmic, Klaus Mitteldorf, Thelma Vilas Boas e Vânia Toledo, entre outros.

Com iniciativa e realização da Livre Conteúdo e Cultura, Ricardo Feldman conseguiu juntar uma grande equipe. Além da curadoria de Agnaldo Farias e Mariana Lanari, o projeto conta com o trabalho gráfico do premiado Kiko Farkas, e com imagens ampliadas pelo especialista Marcos Ribeiro. “Flávio de Carvalho desveste a Moda da Cabeça aos Pés” não é uma simples exposição de moda, mas sim uma manifestação produzida pelo esforço combinado de diversas disciplinas e pela sensibilidade de uma série de profissionais. Cada um deles ao seu modo, dotado de uma extraordinária capacidade de traduzir o pensamento e materializar alguns dos aspectos essenciais do nosso comportamento e do tempo em que vivemos.



Serviço
“Flávio de Carvalho desveste a Moda Brasileira da Cabeça aos Pés”

Período Expositivo: 15 de outubro a 14 de novembro
Horário de Abertura: de terça a domingo, das 10hrs às 19hrs
Local: Mube – Museu Brasileiro de Escultura
Endereço: Av. Europa, 218 – São Paulo – SP
Telefone: (11) 2594-2601
Site: www.mubeart.br

Entrada franca.
Acesso a deficientes no auditório e nas salas de exposições.



(Essa publicação é um release, caso queira divulgar sua marca, produto, banda, etc., me envie um e-mail: carolmmv@gmail.com e se o assunto for do interesse do blog, posso publicar!)