sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Só uma vez

Só uma vez eu queria ter um "encontro", aquela coisa de cinema, hora marcada, me pega em casa, jantar, muita conversa, um vinho de uma cartela de verdade, me levar em casa e não sair com o carro até eu ter entrado no prédio, ligar no dia seguinte pra saber se está tudo bem, ligar no final do dia pra dizer que sente saudade, segundo encontro, a vontade de ficar junto aumenta também, terceiro encontro, ligações só pra dar bom dia e boa noite, um e-mail com uma música pra mim, um beijo no pé da orelha e escondidinho, mãos dadas como adolescentes, um olhar diferente, sexto encontro, acordar junto com bafo, ouvir que mesmo descabelada e sem maquiagem eu sou linda, vigésimo encontro, um puxão de orelha por mau comportamento, uma reconciliação, trigésimo sexto encontro, escovar os dentes juntos e sair correndo pra trabalhar, nonagésimo oitavo encontro, fingir que estou dormindo e ouvir que sou a mulher da vida inteira, encontro oito mil trezentos e noventa e sete, família reunida, papel de parede ou suvinil, sofa ali, microondas novo, notícia boa, chá de bebê, fraldas, noites sem dormir, encontro vinte e quatro mil e quinhentos, naquele lugar do primeiro, o mesmo vinho, o mesmo olhar apaixonado...

Eu poderia querer tudo isso, tudo mesmo, mas eu me contento em ficar só até o terceiro, só uma vez, só pra fazer diferente.

5 comentários:

Chris disse...

Quase um roteiro de cinema...
Mas, ainda assim, é difícil chegar ao terceiro encontro com coisas desse tipo.
Não nos custa sonhar...
Mas não deveria nos custar ter os pés no chão... mas custa...
bjooo...

George Melgaço disse...

Li em um post anterior seu que dói escrever um texto que demorou algum tempo e esforço para ser feito, e não receber sequer um comentário legal como recompensa. Pois bem, esse não vai ser o comentário do ano, até porque eu sou péssimo pra elogios, mas seu texto realmente mexeu comigo. Parabéns! :)

Roberto Lima disse...

Salve Kakah! Adorei teus textos, tua fala. Este aqui foi maravilhoso. Sobre decisões, mais provocante ainda. Parabéns e manda ver!

Pollyana Nadia Costa de Moraes disse...

Eu acho super real. Pode acontecer sempre que a gente quiser. Eu sou do time da Kakah em todas... achu q só falta a gente encontrar alguém bem disposto, que não precise da gente pra protegê-lo dele mesmo, que aceite.
Só isso. Daí tudo pode ser real como a Kakah descreveu aí.
Bejo.

LeLL disse...

acho que deu certo

Postar um comentário

Não me responsabilizo por seus comentários, independente de você ser ou não alguém na night.
Isso aqui é uma ditadura e comentários ofensivos são deletados.