terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Ego-ísmo

Um dia escasquetei que escreveria um livro de contos. Eu teria belas paisagens pitorescas e animados personagens geniosos (não geniais), falaria sobre a sobriedade humana diante dos problemas mundanos e daria doses homeopáticas de tapinhas na sociedade individualista em que somos meros figurantes.

Consegui?
Claro que não.

Eu sou a sociedade individualista. Não consegui escrever um texto sequer sem vislumbrar toda a minha frustração como pessoa dentro de personagens bobos, tão ou mais patéticos do que eu. Não tenho a licença poética de pessoas como Rubem Braga ou Rob Gordon. Não consigo fazer personagens sem um "quê" da minha personalidade insossa, o que acaba em histórias roubadas da minha vivência, sempre baseadas nos meus erros e com tantas referências a pessoas que passaram pela minha vida que teria de pedir seus Direitos caso um dia o livro fosse publicado.

Foi por puro egoísmo que deixei o plano de ser escritora para a Próxima Vida (que começará em 5 anos caso meus planos dêem certo - o que não inclui Morrer).

Meta do dia: Aprender a Imaginar.
Meta atingida: Melhoria no Vocabulário.

5 comentários:

Mariana disse...

a Próxima Vida (que começará em 5 anos caso meus planos dêem certo - o que não inclui Morrer) - PERFEITO! Minha experiência insossa não permitiu uma frase espirituosa assim, então vou deixar quieto ou te dar os créditos quando eu citá-la.

Colombiano disse...

Alguns, se não todos (concordemos com a maioria, ok?) dos grandes escritores nunca escreveram sobre nada além de suas vidas. Hemingway morou em Cuba, viu a vida dos pescadores e escreveu O Velho e O Mar, Paris é uma Festa é da época que, advinha só? ele morou em Paris. Melville realmente foi marinheiro, e baleeiro também. Somerset Maugham cresceu com um tio pastor anglicano, assim como o Philip de Servidão Humana. Nem precisa ir tão longe, Nelson Rodrigues, Fernando Sabino, essa cambada toda, nunca escreveu sobre nada além daquilo que viviam. E é por isso que são tão bons.
Conclusão final: é, boa idéia, mudar de vida as vezes é a única solução pra escrever umas histórias decentes! =D

Silvia Azevedo disse...

Acho que não deveria desistir. Ainda tem os rascunhos? Manda aí!

Fabiana Baioni disse...

Kakah!
Adorei seu blog cara!
Vou seguir sempre!
;*

noahmera disse...

Em cartas a um jovem escritor o Mario Vargas Llosa diz justamente isso... os escritores vivem de escrever (e trabalhar, reelaborar) suas próprias vidas. =D

Postar um comentário

Não me responsabilizo por seus comentários, independente de você ser ou não alguém na night.
Isso aqui é uma ditadura e comentários ofensivos são deletados.